Metade das crianças brasileiras ainda não recebeu as vacinas necessárias

Metade das crianças do País ainda não recebeu as vacinas que elas devem tomar neste ano.

O balanço é do Ministério da Saúde.

O ideal, para garantir que a população esteja protegida, é aplicar as doses em pelo menos 90 por cento do público-alvo das campanhas.

O melhor dos cenários é o da vacina tríplice bacteriana, que protege contra difteria, tétano e coqueluche.

Ainda assim, o índice de imunização está pouco abaixo de 60 por cento.

Já o pior cenário é o da Tetra Viral, contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela.

Ela foi aplicada em apenas duas, de cada 10 crianças.

Para especialistas, o medo de muita gente de ir a um posto de saúde durante a pandemia ajudar a explicar esse cenário.

Mas existem outros motivos.

Mesmo antes do coronavírus, a aplicação de algumas vacinas já estava em queda.

Consequência de notícias falsas que circulam nas redes sociais e que dizem que elas fazem mal.

Essas fake news teriam contribuído para que o Brasil voltasse, por exemplo, a enfrentar um surto de sarampo.

O Ministério da Saúde lembrou que os dados são preliminares; que ainda faltam quatro meses para o fim do ano; e que só será possível fazer uma análise mais precisa sobre os números em 2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *